Zé Bruno: “Quanto mais longe do Evangelho, mais longe da justiça”

"A gente espera que o Brasil se encontre", afirma o vocalista do Resgate


Zé Bruno: "Quanto mais longe do Evangelho, mais longe da justiça"

O cantor e compositor Zé Bruno, conhecido por ser o vocalista e principal letrista da banda de rock Resgate, comentou a situação da política brasileira em uma entrevista cedida ao programa de rádio Onde os Fracos Têm Vez, apresentado por Elvis Tavares, no último sábado (1).

Na ocasião, Elvis comentou sobre as influências acerca da música “A Hora do Brasil”, do disco Ainda não É o Último (2010). Zé respondeu que a música é uma espécie de crítica à uma parte da imprensa que, em sua visão, contribui negativamente na discussão política feita no Brasil – o que ele chama de “ditadura da informação”.



“A sociedade civil organizada apresenta o seu interesse de diversas formas, seja em qualquer instituição que exista. A igreja também é parte disso. O que a gente espera é que a igreja seja mais informadora, que o nosso debate saia do bairrismo do Faceboook e entre pelas cadeiras e, através dos cultos, a gente possa subir a régua desse salto em altura para um nível um pouco mais alto”, avaliou Zé.

Em seguida, o artista também fez reflexões sobre a bancada evangélica. “Que a bancada evangélica seja, de repente, mais representativa do que diz a cosmovisão cristã e menos bairrista, porque ela defende muitas vezes somente as cores da sua instituição ou da sua denominação”, pontuou.

“Mas eu acho que tudo isso também tem um pouco da mão de Deus. E a gente espera que o Brasil se encontre. Nosso papel, como banda, é se o poeta e o filósofo fazem também um papel de profetas, é da gente denunciar, apresentar proposituras que tenham a ver com o que a gente crê e orar que o nosso país encontre uma saída”, afirmou.



Ao final, Zé Bruno ainda traça sua reflexão final, com base na música “A Hora do Brasil”. “Mas a gente sabe que, quanto mais longe do Evangelho, mais longe da justiça”.




Deixe seu comentário!