Perlla abandona carreira gospel e volta ao funk

"Descobri que posso continuar sendo a Perlla que eu sempre fui porque a saudade ficou", afirmou a intérprete de "Tremendo Vacilão"


Perlla abandona carreira gospel e volta ao funk

A cantora Perlla, conhecida por sucessos como “Tremendo Vacilão”, está voltando ao mercado não-religioso, com o qual fez sucesso. Depois de cerca de cinco anos no meio evangélico, pelo qual lançou dois discos, a intérprete afirma que mantém sua fé, mas que a saudade de seus antigos fãs a influenciou na decisão.

“Quero voltar a levar minha alegria para as pessoas. Antes, eu estava em outra vibe, com outros pensamentos, imaginava que não dava para conciliar a minha religião com essa carreira artística, mas descobri que posso continuar sendo a Perlla que eu sempre fui porque a saudade ficou”, disse a cantora, em entrevista ao jornal Extra.

Perlla, que é mãe de duas crianças, deu detalhes. “Recentemente, fiz um show para uma rádio e as pessoas pediram minha volta com muito carinho. Muita gente sempre me cobrou esse retorno, falava das turnês maravilhosas que eu fazia… Fiquei um tempo dedicada a minha família, mas decidi que agora, com minhas filhas maiores, é o momento de voltar”, contou.


  Programa que ensina a Bíblia vira febre na Internet


No meio evangélico, a intérprete lançou o álbum A Minha Vida Mudou em 2013 pela gravadora Central Gospel Music e, em 2014, produziu Noite de Paz, um registro de canções natalinas pela Deckdisc. Perlla chegou a lançar alguns singles pela Mess Entretenimento, como o recente “Passinho Diferente”, em parceria com Tonzão, lançado no final de maio.

Ainda, acredita que sua música foi influência para artistas como Anitta e Ludmilla. “O que existe hoje foi porque eu deixei um caminho, uma estrada. Se elas seguem determinado estilo, foi porque passaram pelo meu som”, afirmou Perlla, uma das intérpretes mais notáveis do subgênero funk melody.

“Eu já conhecia Jesus desde a infância, mas precisava de um tempo para me dedicar ao crescimento das minhas filhas. Me permiti um tempo para sossegar. Com shows à noite e tantas apresentações no mês, eu me via sem estrutura para conciliar a agenda com a família. Precisei desses sete anos afastada do meio artístico para ficar com eles”, justificou a artista.

Por fim, a cantora fala sobre a experiência. “No meio gospel, para gravar um projeto gospel, é bem diferente porque a galera canta de verdade. Não me arrependo de nada que fiz. O tempo de amadurecimento em todas as áreas foi muito importante. E tive o apoio dos pastores da igreja para seguir. Eles disseram para eu levar minha alegria para as pessoas”.




Deixe seu comentário!