MENU

Percursor do gospel no Brasil, Feliciano Amaral morre aos 97 anos

Há mais de uma semana ele vinha respirando com ajuda de aparelhos.


Reprodução Facebook

Morreu na manhã deste sábado (7), o cantor e pastor batista Feliciano Amaral. Ele tinha 97 anos e estava internado desde maio. Percussor da música gospel no país, ele começou sua carreira como cantor em 1948, quando gravou seu primeiro disco pela gravadora Atlas, ligada à Convenção Batista Brasileira.

Em uma nota, publicada em sua página no Facebook, lê-se: “Às 6:30 de hoje, aos 97 anos, foi promovido à glória o cantor e pastor Feliciano Amaral… O cantor Feliciano Amaral, conhecido como “ROUXINOL DO SERTÃO”, após 70 anos de ministério no louvor e adoração, silencia sua melodiosa voz aqui na terra, e entra no repouso dos santos, onde a eternidade o aguarda para o compor o coral dos santos imortais que pelos séculos dos séculos entoarão os cânticos de Sião. Seus olhos se fecham aqui, mas os louvores que alimentaram os famintos de alma, consolaram os abatidos e edificaram a fé inabalável firmada na Palavra de Deus, perpetuam o legado e história deste sacerdote do louvor”.

Desde o dia 28 de junho ele vinha respirando por aparelhos. Além de pneumonia, sofria com uma infecção generalizada.

Livro dos Recordes

Desde 2010 ele era considerado o recordista de longevidade no mundo da música. Foram 67 anos de carreira, motivo pelo qual entrou para o Livro Guinness dos Recordes.

Feliciano Amaral nasceu em Minas Gerais. Antes de ser cantor foi sapateiro e músico. Mudou-se para o Rio de Janeiro, onde estudou Teologia no Seminário Teológico Betel. Pastoreou várias igrejas, inclusive a Primeira Igreja Batista da Pavuna. Gravou vários LPs e CDs, sendo o mais recente “Especial 90 Anos – Jardim de Oração” de 2010. Tem ainda um DVD em sua carreira, gravado ao vivo numa igreja em Recife

Na década de 1940 ele foi o percussor do estilo musical que hoje é chamado de gospel, com letras que falam sobre temas cristãos. Interpretou canções como: “Oração de Davi”, “Céu aberto”, “O mar”, “Ao meu Redor”, “O Rosto de Cristo”, “Rio Profundo”, “Sou Filho do Rei”, “O Jardim de Oração”, entre outras.



Assuntos: ,


Deixe sua opinião!

Mais notícias