Leonardo Gonçalves faz último show de turnê

Apresentação encerra a turnê Princípio; espetáculo também trouxe a dupla de indie folk Os Arrais


Imagem: Reprodução/Lucas Motta
Imagem: Reprodução/Lucas Motta

O cantor e compositor pernambucano Leonardo Gonçalves encerrou, nesta quinta-feira (15/12), a turnê Princípio. Shows em teatro realizados pelo intérprete em várias cidades brasileiras e com repertório de sucessos, a série de apresentações foram um dos pontos mais altos do ano de 2016. O último show ocorreu na cidade do Rio de Janeiro.

Além do setlist formado por canções notáveis como “Getsêmani”, “Ele Vive”, “Novo” e “Sublime” executadas esta noite no Vivo Rio, Leonardo também contou com a participação de vários músicos. Dentre eles, a dupla Os Arrais, que apresentou o espetáculo Dia, com uma nova banda a os acompanhar.

O show sucedeu uma apresentação de Leonardo no Teatro Bradesco. Mesmo finalizando a turnê Princípio, Leonardo ainda tem apresentações a cumprir este ano, antes de sua pausa na carreira.

Pausa

Leonardo Gonçalves anunciou “pausa” na carreira em 1 de abril deste ano, por meio de uma videoconferência em sua página no Facebook. A turnê Princípio foi divulgada no mesmo dia, com a intenção de promover, aos fãs, a possibilidade de vê-lo cantar antes de seu tempo sabático.

Na ocasião, o intérprete também cedeu entrevista para a jornalista Raquel Carneiro, da revista Veja, e falou um pouco mais de suas motivações. “[…] estou bem cansado, especialmente da exposição que eu não esperava. Não quero soar ingrato, mas meu projeto de vida nunca foi ser cantor. Sou uma pessoa mais reservada, tem a ver com minha personalidade”.

Na entrevista, o cantor citou o contexto e história de sua vida pessoal – desde a figura de “nerd” no período escolar, quanto sua paixão por livros. Formado em Letras pela Universidade de Campinas (Unicamp), Leonardo também fez críticas ao que ele chamou de “cultura do selfie”, já mencionada na trilha comentada de seu mais recente DVD.

“Demorei dez anos para gravar um DVD e atrasei ao máximo o lançamento. Me deu aflição por razões inexplicáveis. Sei que a gente vive no mundo da imagem. Mas me incomoda o fato de que hoje em dia a gente vê musica, não ouve”, criticou.




Deixe seu comentário!