MENU

Cantor lista “10 motivos para não se entrar no mercado gospel”

Indicado ao Grammy, Jonathan McReynolds afirma que há muita cobrança irreal neste meio


Jonathan McReynolds
Jonathan McReynolds. (Foto: Divulgação)

O cantor e compositor Jonathan McReynolds, 28 anos, viu sua carreira ganhar grande projeção após ter sido indicado ao Grammy na categoria “gospel”. Com várias músicas de sucesso nas paradas norte-americanas, ele usou seu blog pessoal para fazer um desabafo, que acabou ganhando grande repercussão.

A opção de McReynolds foi continuar exercendo sua profissão como professor universitário no Columbia College, em Chicago, EUA. Ele decidiu fazer um número reduzido de apresentações e afirma que vem pensando muito sobre as “armadilhas” que o sucesso pode trazer aos músicos que almejam sucesso num segmento musical que não é como os demais.

“A qualidade, integridade e potência da música gospel não é afetada pela sua posição nas paradas. Ela é totalmente baseada nas pessoas que fazem parte dessa ‘indústria’ da música gospel. Não somos contaminados por coisas externas, somente por coisas internas (Mateus 15)”, escreveu ele, em um texto que acabou ganhando notoriedade após ser reproduzido pelo Christian Post, o maior site gospel dos EUA.

Segundo McReynolds, “existem 6 bilhões de motivos para alguém querer ser um artista gospel e eu não estou reclamando desta incrível carreira que Deus me deu, mas escrevo isto para alertar aqueles que insistem em desperdiçar sua energia e dinheiro sem terem um chamado para isso”.

Estes são os motivos listados por ele:

1 ) É um meio pequeno – A quantidade de artistas que vão se apresentar na TV é provavelmente na casa dos 30… apenas 1 ou 2 novos artistas conseguem se firmar a cada ano. O público também é incrivelmente pequeno. Estamos falando de uns 5% do país que realmente consome esse tipo de música… Se você está procurando aparecer para um público grande, o gospel não é a melhor maneira de tentar carreira.

2) Não é unificado – Todo mundo tem seus próprios gostos, as igrejas têm preferências por estilo e você não vai conseguir agradar a todos. O mercado da música reflete isso… Pode ser que você fique magoado ao descobrir que há pouquíssimas oportunidades para unir a Igreja em torno de seus artistas.

3) Você será copiado. Como em qualquer gênero, as pessoas prestam atenção ao que parece “funcionar” e “vender”. Então, se você fizer algum sucesso, prepare-se para ter muitos elementos de suas músicas copiados sem dó.

4) Você será pressionado para copiar – Às vezes as pessoas querem ouvir somente “aquele som”, por acreditarem que vem de Deus. Eu fui pressionado a copiar o que fazia sucesso. E você também será. A mão de Deus precisa parecer que está sobre sua vida, mas “se nem o céu nem a terra” estiverem respondendo à sua música, a pressão virá para você copiar o que os outros estão fazendo.

5) Você agora ‘realmente’ representa o Reino – Você não será apenas um cantor, passa a representar algo que muitas pessoas admiram e algumas menosprezam. Conheci pessoas no mundo gospel que tentaram ser apenas bons cantores e impressionar o mundo com seu dom incrível. Eles foram estrelas cadentes… As pessoas esperam e, honestamente, NECESSITAM que você represente a Cristo… SEU OBJETIVO PÚBLICO deve ser levar os outros a Cristo e não apenas se expressar pela música. Isso gera uma grande pressão.

6) Não há muito dinheiro. Simples assim. É um mercado pequeno. Poucos realmente são ricos e sei de muitos artistas que precisam complementar sua renda com empregos ‘comuns’, fazendo apenas shows nas suas igrejas (ou igrejas onde são amigos do pastor).

7) Viajar é cansativo – Todos amamos conhecer novos lugares e novas pessoas… Infelizmente, há um grande desgaste nessas viagens, seguidamente dormimos pouco e comemos mal.

8) É lento para aceitar novidades – Por mais que eu ame o meio gospel, não há desafios para a criatividade… Somos resistentes a mudanças, avessos ao risco e desconfiamos da maioria das coisas novas… Parece que o público só quer uma nossa versão daquilo que já conhecem.

9) Boa parte do seu público mostra ter pouca fé – A melhor maneira de ser um artista cristão maduro e forte é ser um cristão maduro e forte. Infelizmente, você pode sentir-se desencorajado pelo público ao apresentar suas músicas… Você não deve levar isso para o lado pessoal. É preciso assumir o papel de representar a Cristo, sabendo o que a Bíblia REALMENTE diz, evitando fofocas e críticas que virão sobre o que você está cantando. É bem difícil.

10) O mundo não será seu fã. Por fim, o que você representa é enorme. É lindo, respeitável, inclusivo e divino, mas também é o oposto do que o mundo espera… Muitos aceitam você falar de um “Deus” genérico, mas fale de “Jesus” e começará uma briga… Uma das piores coisas que um artista gospel pode fazer é esperar o conhecimento pelo mundo. Prepare-se para ser alvo de ódio e da indiferença da mídia. Traduzido e adaptado de Life Room Talk



Assuntos:


Deixe sua opinião!

Mais notícias